You are currently browsing the category archive for the ‘Reflexões’ category.

fibonacci-sunflowerRazão, estação, vida

Autor desconhecido

“Pessoas entram em sua vida por uma “razão”, uma  “estação” ou uma “vida inteira”. Quando perceber qual destes motivos se aplica a você, saberá o que fazer por cada uma delas.

Quando alguém está em sua  vida por uma “razão” é, geralmente, para suprir uma necessidade que você demostrou. São pessoas que vêm em seu auxílio por força de uma dificuldade, para lhe oferecer orientação e apoio, ou mesmo para lhe ajudar física, emocional ou espiritualmente.

Elas poderão parecer como uma dádiva de Deus – e realmente são! Estão lá pela razão pela qual você precisa que lá estejam. Então, sem nenhuma atitude errada de sua parte, em determinado momento esta relação chegará ao fim.

Às vezes, estas pessoas morrem.
Às vezes, elas  simplesmente se vão.
Às vezes, elas agem e conduzem você a tomar uma decisão.

O que devemos entender é que nossas necessidades foram  atendidas, nossos desejos preenchidos e o trabalho daquelas pessoas, feito. Suas orações foram atendidas e, agora, é tempo de ir.

Quando pessoas  entram em nossas vidas por uma “estação”, é porque chegou sua vez de  dividir, crescer e aprender. Elas trazem a você a experiência da paz ou poderão lhe ensinar algo que você nunca fez. Geralmente, lhe trarão uma enorme quantidade de prazer. Porém, somente por uma “estação”.

Relacionamentos de uma “vida  inteira” ensinam lições para toda a vida: coisas que você deve construir para ter uma formação emocional sólida.

Sua tarefa é aceitar a lição, amar a pessoa, e colocar o que você aprendeu em uso em todos os outros relacionamentos e áreas de sua vida.”

geometria-sagrada-1

Crédito das Imagens e artigos para instigar:

1 – Flor da Vida
http://despertandodeuses.blogspot.com.br/2012/02/ciencia-espiritual-flor-da-vida.html

2 – Geometria Sagrada

Geometria sagrada, a misteriosa arquitetura do universo

Jota Quest

O melhor lugar do mundo
É dentro de um abraço
Pro mais velho ou pro mais novo
Pra alguém apaixonado, alguém medrosoabraço cazuza
 

O melhor lugar do mundo
É dentro de um abraço
Pro solitário ou pro carente
Dentro de um abraço é sempre quente

Tudo que a gente sofre
Num abraço se dissolveTudo que se espera ou sonha
Num abraço a gente encontra

No silêncio que se faz
O amor diz compromisso
Oh baby, baby
Dentro de um abraço tudo mais já está dito

O melhor lugar do mundo
É aqui, é dentro de um abraço
E por aqui não mais se ouve o tique-taque dos relógios

Se faltar a luz fica tudo ainda melhor
O rosto contra o peito, dois corpos num amasso
Os corações batendo juntos em descompasso

Tudo que a gente sofrenum abraço
Num abraço se dissolve
Tudo que se espera ou sonha
Num abraço a gente encontra

Tudo que a gente sofre
Num abraço se dissolve
Tudo que se espera ou sonha
Num abraço se encontra

Na chegada ou na partida

Raio de sol ou noite fria
Na tristeza ou na alegria
(Na tristeza ou na
alegria)

Tudo que a gente sofre

(Na chegada ou na partida)
Num abraço se dissolve
(Raio de sol ou noite fria)
Tudo que se espera ou sonha
(Na tristeza ou na alegria)
Num abraço a gente encontra

Tudo que a gente sofre
(Na chegada ou na partida)
Num abraço se dissolve
(Raio de sol ou noite fria)
Tudo que se espera ou sonha
(Na tristeza ou na alegria)
Num abraço a gente encontra

 

Dentro de um abraço – Martha Medeiros

  • Onde é que você gostaria de estar agora, nesse exato momento?Fico pensando nos lugares paradisíacos onde já estive, e que não me custaria nada reprisar: num determinado restaurante de uma ilha grega, em diversas praias do Brasil e do mundo, na casa de bons amigos, em algum vilarejo europeu, numa estrada bela e vazia, no meio de um show espetacular, numa sala de cinema assistindo à estreia de um filme muito esperado e, principalmente, no meu quarto e na minha cama, que nenhum hotel cinco estrelas consegue superar – a intimidade da gente é irreproduzível.Posso também listar os lugares onde não gostaria de estar: num leito de hospital, numa fila de banco, numa reunião de condomínio, presa num elevador, em meio a um trânsito congestionado, numa cadeira de dentista.E então? Somando os prós e os contras, as boas e más opções, onde, afinal, é o melhor lugar do mundo?Meu palpite: dentro de um abraço.Que lugar melhor para uma criança, para um idoso, para uma mulher apaixonada, para um adolescente com medo, para um doente, para alguém solitário? Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve.Que lugar melhor para um recém-nascido, para um recém-chegado, para um recém-demitido, para um recém-contratado? Dentro de um abraço nenhuma situação é incer-ta, o futuro não amedronta, estacionamos confortavelmente em meio ao paraíso.

    O rosto contra o peito de quem te abraça, as batidas do coração dele e as suas, o silêncio que sempre se faz durante esse envolvimento físico: nada há para se reivindicar ou agradecer, dentro de um abraço voz nenhuma se faz necessária, está tudo dito.

    Que lugar no mundo é melhor para se estar? Na frente de uma lareira com um livro estupendo, em meio a um estádio lotado vendo seu time golear, num almoço em família onde todos estão se divertindo, num final de tarde à beiramar, deitado num parque olhando para o céu, na cama com a pessoa que você mais ama?

    Difícil bater essa última alternativa, mas onde começa o amor, senão dentro do primeiro abraço? Alguns o consideram como algo sufocante, querem logo se desvencilhar dele. Até entendo que há momentos em que é preciso estar fora de alcance, livre de qualquer tentáculo. Esse desejo de se manter solto é legítimo, mas hoje me permita não endossar manifestações de alforria. Entrando na semana dos namorados, recomendo fazer reserva num local aconchegante e naturalmente aquecido: dentro de um abraço que te baste.
    12 de junho de 2008

    images

“Caro professor, ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas por favor diga-lhe que, para cada vilão há um herói, que para cada egoísta, há também um líder dedicado, ensine-lhe por favor que para cada inimigo haverá também um amigo, ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada, ensine-o a perder, mas também a saber gozar da vitória, afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso, faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros no céu, as flores no campo, os montes e os vales.

Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa, ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos.

Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros, ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram.

Ensine-o a ouvir todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho, ensine-o a rir quando estiver triste e explique-lhe que por vezes os homens também choram.

Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar só contra todos, se ele achar que tem razão.

Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço, deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso.

Transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens.**

Eu sei que estou pedindo muito, mas veja o que pode fazer, caro professor.”

Abraham Lincoln, 1830

 

* Pela breve pesquisa que realizei para saber se realmente foi um escrito de Abrahan Lincoln, descobri que provavelmente não foi, mas a mensagem transmitida traduz exatamente o que penso ser o papel da educação como um todo – que começa em casa e não somente na escola.

** Este trecho, pelo “original”, poderia ser traduzido como:

“Ensine sempre a ter fé em si mesmo, porque então ele terá fé sublime na humanidade…”


 

“Enquanto lutamos para ir contra o natural, que é nossa evolução, nosso aprendizado, nossa felicidade, a vida tenta nos colocar no rumo. Quando encontramos essa naturalidade, tudo se movimenta mostrando que estamos no caminho certo.”

(Isabela Medeiros)

por Alexandre Pelegi

Há tempos em nossa vida
que contam de forma diferente.

Há semanas que duraram anos,
como há anos
que não contaram um dia.

Há paixões que foram eternas,
como há amigos
que passaram céleres,
apesar de o calendário mostrar
que ficaram por anos
em nossas agendas.

Há amores não realizados
que deixaram olhares de meses,
e beijos e abraços não dados
que até hoje
esperam o desfecho.

Há trabalhos
que tomaram décadas
de nosso tempo na Terra,
mas que nossa memória insiste
em contá-los como semanas.

E há casamentos que,
ao olharmos para trás,
mal preenchem
os feriados da folhinha.

Há tristezas
que nos paralisaram por meses,
mas que hoje,
passados os dias difíceis,
mal guardamos
a lembrança de horas.

Há eventos que marcaram,
e que duram para sempre:
o nascimento do filho,
a morte da avó,
a viagem inesquecível,
o êxtase do sonho realizado.

Estes têm a duração
que nos ensina o significado
da palavra “eternidade”.

Já viajei para a mesma cidade
uma centena de vezes,
e na maioria das viagens
o tempo do percurso
foi (quase) o mesmo.

Mas conforme meu espírito, houve viagem
que não teve fim até hoje,
como há também o percurso
que nem me lembro de ter feito,
tão feliz estava eu na ocasião.

O relógio do coração,
hoje descubro,
bate em freqüência diversa
daquele que carrego no pulso.

Marca um tempo diferente,
o das emoções que perduram
e que mostram
o verdadeiro tempo
da existência da gente.

Por este relógio,
velhice é coisa de quem
não conseguiu esticar o tempo
que temos no mundo.

É olhar as rugas…
e não perceber a maturidade
e a experiência adquiridas.

É pensar antes
naquilo que não foi feito,
ao invés de se alegrar e sorrir
com as lembranças do que viveu.

Pense nisso.
Consulte sempre
o relógio do coração!
É ele que lhe mostrará
o verdadeiro tempo da vida…

Um homem foi comprar jornal com seu amigo.

O amigo cumprimentou o jornaleiro amavelmente, mas como retorno, recebeu um tratamento rude e grosseiro.

Pegando o jornal que foi atirado em sua direção, o amigo sorriu carinhosamente e com toda a atenção, desejou ao jornaleiro um bom final de semana.

Quando os dois desciam pela rua, o homem perguntou ao seu amigo:

-Ele sempre lhe trata com tanta grosseria?

-Sim, infelizmente é sempre assim.

-E você é sempre tão amável com ele?

-Sim, sempre sou.

-Por que você é tão educado, já que ele é tão rude com você?

-Porque não quero que ele decida como eu devo agir. Nós somos nossos “próprios donos”. Não devemos nos curvar diante de qualquer vento que sopra, nem estar à mercê do mau humor, da mesquinharia, da impaciência e da raiva dos outros.

 

Não são os ambientes que nos transformam e sim nós que transformamos os ambientes.

“Hoje eu estou desolado e não tenho razões para mentir, e vivo da minha desolação o meu processo de continuidade, porque se eu nego o sofrimento que me ataca, ele nunca vira arte dentro de mim.”

Padre Fábio de Melo 

  

Imagem: Doris Dockner, 2005

“Aprendi com a primavera; a deixar-me cortar e voltar sempre inteira.”

Cecília Meireles 

  

  

  

“Céu de primavera
no jardim dorme a menina.
Qual a flor do sonho?”

Anibal Beça 

   

 

“Primavera não é uma simples estação de flores, é muito mais, é um colorido da alma.”

Jaak Bosmans

 

 

“No inverno te proteger
no verão sair pra pescar
no outono te conhecer
primavera poder gostar
e no estio me derreter
pra na chuva dançar e andar junto!”

Beto Guedes

 

“É impossível levar o pobre à prosperidade através
de legislações que punem os ricos pela prosperidade.

Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa
deve trabalhar sem receber.

O governo não pode dar para alguém aquilo que
não tira de outro alguém.

Quando metade da população entende a idéia de que
não precisa trabalhar, pois a outra metade da população
irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende
que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira
metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.

É impossível multiplicar riquezas dividindo-a.”

Past0r Adrian Pierce Rogers (1931-2005)

“Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música não começaria com partituras, notas e pautas. Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria sobre os instrumentos que fazem a música. Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas. Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes”.

Rubem Alves

Naquela noite,enquanto minha esposa servia o jantar, eu segurei sua mão e disse: “Tenho algo importante para te dizer”. Ela se sentou e jantou sem dizer uma palavra. Pude ver sofrimento em seus olhos.

De repente, eu também fiquei sem palavras. No entanto, eu tinha que dizer a ela o que estava pensando.Eu queria o divórcio. E abordei o assunto calmamente.

Ela não parecia irritada pelas minhas palavras e simplesmente perguntou em voz baixa: “Porquê?”

Eu evitei respondê-la, o que a deixou muito brava. Ela jogou os talheres longe e gritou “você não é homem!” Naquela noite, nós não conversamos mais.

Pude ouví-la chorando. Eu sabia que ela queria um motivo para o fim do nosso casamento. Mas eu não tinha uma resposta satisfatória para esta pergunta. O meu coração não pertencia a ela mais e sim a Jane.

Eu simplesmente não a amava mais, sentia pena dela.

Me sentindo muito culpado, rascunhei um acordo de divórcio, deixando para ela a casa, nosso carro e 30% das ações da minha empresa.

Ela tomou o papel da minha mão e o rasgou violentamente. A mulher com quem vivi pelos últimos 10 anos se tornou uma estranha para mim. Eu fiquei com dó deste desperdício de tempo e energia mas eu não voltaria atrás do que disse, pois amava a Jane profundamente.

Finalmente ela começou a chorar alto na minha frente, o que já era esperado. Eu me senti libertado enquanto ela chorava. A minha obsessão por divórcio nas últimas semanas finalmente se materializava e o fim estava mais perto agora.

No dia seguinte, eu cheguei em casa tarde e a encontrei sentada na mesa escrevendo. Eu não jantei, fui direto para a cama e dormi imediatamente, pois estava cansado depois de ter passado o dia com a Jane.

Quando acordei no meio da noite, ela ainda estava sentada à mesa,
escrevendo. Eu a ignorei e voltei a dormir.

Na manhã seguinte, ela me apresentou suas condições: ela não queria nada meu, mas pedia um mês de prazo para conceder o divórcio. Ela pediu que durante os próximos 30 dias a gente tentasse viver juntos de forma mais natural possivel. As suas razões eram simples: o nosso filho faria seus exames no próximo mês e precisava de um ambiente propício para prepar-se bem, sem os problemas de ter que lidar com o rompimento de seus pais.

Isso me pareceu razoável, mas ela acrescentou algo mais. Ela me lembrou do momento em que eu a carreguei para dentro da nossa casa no dia em que nos casamos e me pediu que durante os próximos 30 dias eu a carregasse para fora da casa todas as manhãs. Eu então percebi que ela estava completamente louca mas aceitei sua proposta para não tornar meus próximos dias ainda mais intoleráveis.

Eu contei para a Jane sobre o pedido da minha esposa e ela riu muito e achou a idéia totalmente absurda. “Ela pensa que impondo condições assim vai mudar alguma coisa; melhor ela encarar a situação e aceitar o divórcio”, disse Jane em tom de gozação.

Minha esposa e eu não tínhamos nenhum contato físico havia muito tempo, então quando eu a carreguei para fora da casa no primeiro dia, foi totalmente estranho. Nosso filho nos aplaudiu dizendo “O papai está carregando a mamãe no colo!” Suas palavras me causaram constrangimento. Do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa, eu devo ter caminhado uns 10 metros carregando minha esposa no colo. Ela fechou os olhos e disse baixinho “Não conte para o nosso filho sobre o divórcio” Eu balancei a cabeça mesmo discordando e então a coloquei no chão assim que atravessamos a porta de entrada da casa. Ela foi pegar o ônibus para o trabalho e eu dirigi para o escritório.

No segundo dia, foi mais fácil para nós dois. Ela se apoiou no meu peito,eu senti o cheiro do perfume que ela usava. Eu então percebi que há muito tempo não prestava atenção a essa mulher. Ela certamente tinha envelhecido nestes últimos 10 anos, havia rugas no seu rosto, seu cabelo estava ficando fino e grisalho. O nosso casamento teve muito impacto nela. Por uns segundos, cheguei a pensar no que havia feito para ela estar neste estado.

No quarto dia, quando eu a levantei, senti uma certa intimidade maior como corpo dela. Esta mulher havia dedicado 10 anos da vida dela a mim.

No quinto dia, a mesma coisa. Eu não disse nada a Jane, mas ficava a cada dia mais fácil carregá-la do nosso quarto à porta da casa. Talvez meus músculos estejam mais firmes com o exercício, pensei.

Certa manhã, ela estava tentando escolher um vestido. Ela experimentou uma série deles mas não conseguia achar um que servisse. Com um suspiro,ela disse “Todos os meus vestidos estão grandes para mim”. Eu então percebi que ela realmente havia emagrecido bastante, daí a facilidade em carregá-la nos últimos dias.

A realidade caiu sobre mim com uma ponta de remorso… ela carrega tanta dor e tristeza em seu coração….. Instintivamente, eu estiquei o braço e toquei seus cabelos.

Nosso filho entrou no quarto neste momento e disse “Pai, está na hora de você carregar a mamãe”. Para ele, ver seu pai carregando sua mãe todas as manhãs tornou-se parte da rotina da casa. Minha esposa abraçou nosso filho e o segurou em seus braços por alguns longos segundos. Eu tive que sair de perto, temendo mudar de idéia agora que estava tão perto do meu objetivo. Em seguida, eu a carreguei em meus braços, do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa. Sua mão repousava em meu pescoço. Eu a segurei firme contra o meu corpo. Lembrei-me do dia do nosso casamento.

Mas o seu corpo tão magro me deixou triste. No último dia, quando eu a segurei em meus braços, por algum motivo não conseguia mover minhas pernas.Nosso filho já tinha ido para a escola e eu me vi pronunciando estas palavras:”Eu não percebi o quanto perdemos a nossa intimidade com o tempo”.

Eu não consegui dirigir para o trabalho… fui até o meu novo futuro endereço, saí do carro apressadamente, com medo de mudar de idéia… Subi as escadas e bati na porta do quarto. A Jane abriu a porta e eu disse a ela “Desculpe Jane. Eu não quero mais me divorciar”.

Ela olhou para mim sem acreditar e tocou na minha testa “Você está com febre?” Eu tirei sua mão da minha testa e repeti “Desculpe, Jane. Eu não vou me divorciar. Meu casamento ficou chato porque nós não soubemos valorizar os pequenos detalhes da nossa vida e não por falta de amor. Agora eu percebi que desde o dia em que carreguei minha esposa no dia do nosso casamento para nossa casa, eu devo segurá-la até que a morte nos separe.

A Jane então percebeu que era sério. Me deu um tapa no rosto, bateu a porta na minha cara e pude ouví-la chorando compulsivamente. Eu voltei para o carro e fui trabalhar.

Na loja de flores, no caminho de volta para casa, eu comprei um buquê de rosas para minha esposa. A atendente me perguntou o que eu gostaria de escrever no cartão. Eu sorri e escrevi: “Eu te carregarei em meus braços todas as manhãs até que a morte nos separe”.

Naquela noite, quando cheguei em casa, com um buquê de flores na mão e um grande sorriso no rosto, fui direto para o nosso quarto onde encontrei minha esposa deitada na cama – morta.

Minha esposa estava com câncer e vinha se tratando a vários meses, mas eu estava muito ocupado com a Jane para perceber que havia algo errado com ela.

Ela sabia que morreria em breve e quis poupar nosso filho dos efeitos de um divórcio – e prolongou a nossa vida juntos proporcionando ao nosso filho a imagem de nós dois juntos toda manhã. Pelo menos aos olhos do meu filho, eu sou um marido carinhoso.

Os pequenos detalhes de nossa vida são o que realmente contam num relacionamento. Não é a mansão, o carro, as propriedades, o dinheiro no banco. Estes bens criam um ambiente propício a felicidade mas não proporcionam mais do que conforto. Portanto, encontre tempo para ser amigo de sua esposa, faça pequenas coisas um para o outro para mantê-los próximos e íntimos. Tenham um casamento real e feliz!

Encontre também um espaço para ser amigo de seus filhos, olhar verdadeiramente para seus amigos, seus pais, colegas de trabalho, zelador…

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 764 outros seguidores

Twittando

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Esclarecimento

Quase todas as imagens aqui publicadas são obtidas na Internet. Agradeço se me informar o nome do autor caso não conste ou se alguma está protegida pelos direitos autorais - copyright.